Arcano I - A Sacerdotisa (versão nova)

Posted by Jorge Puente Marcadores:

A Sacerdotisa olhou calmamente a figura que se aproximava pelo caminho, embaixo do escaldante sol. Então voltou entrar no templo...

O Louco se aproximou do templo. Uma estranha construção, no meio do nada. Mas pouca coisa surpreendia o Louco agora. Tinha visto muitas maravilhas durante sua viagem. Coisas que talvez fossem comuns para os homens que viviam a vida num estado adormecido, mas que para ele eram maravilhosas. O templo se erguia ante ele agora, misterioso e mágico. Por que não entrar?

Mudou de rumo e se encaminhou para a entrada. Passou pelos enormes portais. O templo parecia vazio, mas sua intuição lhe disse que muitas pessoas se movimentavam nas sombras, em volta dele, vigiando seus passos. Continuou enfrente e finalmente foi dar numa sala suavemente iluminada. Uma mulher jovem e bonita estava sentada no fundo da sala, entre dois castiçais com velas, uma branca e uma negra. Dava para ver que esses castiçais indicavam um portal para a parte posterior do templo, mas a jovem estava sentada justo na entrada dele. Usava um vestido verde e seu trono imitava uma lua crescente. Sobre seus joelhos tinha um pesado livro, aberto. Olhou nos olhos dele e o Louco sentiu como se o olhar dela conseguisse penetrar até a sua alma.
- Bem vindo, viajante –disse ela com voz calma.
- Onde estou? –quis saber o Louco.
- No meio do deserto, segundo o que eu sei –respondeu ela. O Louco ficou um pouco irritado.
- Isso já sabia –disse. Ela sorriu.
- Então, por que pergunta?
Ele ia responder mais irritado ainda, mas a calma dela parou a raiva. Aliás, parecia que a presença dela aclarava a mente de forma desconcertante.
- Desculpe –disse ele-. Tem razão. Sou um viajante sem rumo. Estou surpreso de achar este lugar. Você poderia me ajudar na minha busca? Não sei muito bem onde estou indo, assim que um pouco de orientação não estaria mal.
- Isso já está melhor – disse ela, sorrindo – Onde é que você gostaria de ir?
- Não sei. Deixei tudo para trás e não sei o que existe à frente. Este é o primeiro lugar onde paro.
- Talvez tenha sido uma escolha acertada –disse a moça com voz suave – Talvez não... Já que você não sabe dizer onde está indo, talvez possa me dizer o que você quer...
O Louco ia dizer que não sabia, mas algo lhe disse para ficar calado.
- Posso pensar um pouco?
- Todo o tempo que você quiser. O meu templo é grande, pode ficar aqui se desejar, o tempo que achar conveniente...
- E se eu não souber a resposta?
- Nesse caso, tem duas opções: você pode voltar por onde veio, ou ficar aqui, me servindo, como aqueles que você sentiu na escuridão, quando entrou. Como disse, o templo é grande e o serviço leve. Você escolhe...
Ele ficou curioso.
- Quem é você?
- Sou a Alta Sacerdotisa, a filha da Deusa Lua. Este é o templo do Conhecimento, tanto do conhecimento aberto quanto do conhecimento oculto. Aqui todas as dúvidas são respondidas, todos os mistérios revelados. Mas só para aqueles que sabem onde procurar as respostas. Você sabe? Se não souber, pode ficar aqui até averiguá-las... ou para sempre. Tem pessoas que se conformam com ter só parte do conhecimento. Vivem mentiras como se fossem verdades. Eu não discrimino ninguém. Meu templo sempre está aberto aos visitantes e é pródigo com os que moram nele...

  O Louco ficou tentado com a oferta de permanecer ali. Depois de tanto andar, parecia uma boa idéia, mesmo que significasse entrar mais uma vez na estagnação das meias verdades, dos conhecimentos parciais, das ilusões que não levam a lugar nenhum. Mas algo no seu interior agitou-se, descontente. Sabia que não podia parar sua viagem ai, por mais cômodo e agradável que fosse o templo. Também não podia voltar. E não gostava da idéia de ficar sem rumo no deserto novamente. Os minutos passaram devagar. Pareceram horas... talvez foram horas as que o Louco ficou em pé, frente ao trono da Sacerdotisa. Finalmente, no silêncio do dia que morria, enquanto a luz diminuía no exterior, algo começou brilhar no interior do viajante. Um anseio, uma necessidade, um desejo tão poderoso que se abriu passo através das trevas da sua mente. Um grito silencioso. E ele sorriu.

- Já deixei tudo para trás, já deixei de ser aquele homem antigo. Na minha sacola carrego os antigos instrumentos, mas não consigo mais ativá-los. O que é que eu quero? Quero voltar a ser o senhor dos meus caminhos, quero poder traçar meu destino segundo minha Vontade. Quero que os Instrumentos voltem funcionar, que minha Vontade possa ativá-los novamente.
Ele fez uma pausa e olhou diretamente para ela.
- Você pode me ajudar?

Ela ficou olhando para ela por muito tempo. O sol finalmente se escondeu. O recinto ficou iluminado pela luz de mil velas. Passo uma eternidade...

- Por que supõe que saber quem é vai servir na sua viagem? –perguntou ela, muito séria.
- Se eu souber quem sou realmente, meu destino já está nas minhas mãos. Atingi-lo é só questão de tempo.
Ela levantou um pouco o livro e olhou para ele.
- Onde acha que está esse conhecimento?

O Louco pensou pouco. Aliás, nem pensou, deixou que a sua intuição falasse por ele.
- Dentro de mim. Só não sei como achá-lo. Você sabe?
- Todo conhecimento está no nosso interior. Só os tolos o buscam fora deles. Mas o conhecimento pode doer. Revelar nosso interior pode destruir a imagem que tem de você e do mundo. Está preparado para isso?

Ela deixou o livro aos pés do trono, levantou-se e desceu as escadas. Chegou perto dele e levantou um braço, apontando ao portal.
- O que você procura está do outro lado. Você se atreve a entrar? Não vou enganar você. Nunca engano ninguém. Não é fácil. Muitos voltaram atrás correndo e chorando e se perderam no mundo. Vivem assustados deles mesmos, se escondendo da própria sombra.
O Louco refletiu um momento sobre as palavras da Sacerdotisa. Já tinha perdido tudo. O que mais podia perder? E o que tinha para ocultar?
- Nada tenho a ocultar –disse calmamente. Deixou seus pertences no chão e olhou para ela –. Nem nada para levar.  Quando você mandar...
-Eu nunca mando –respondeu a Sacerdotisa-. Mas o conhecimento pode te levar a fazer a opção correta... e isso nem sempre vai estar de acordo com os seus desejos.
- O Universo é mais sábio que um simples mortal. Mas o simples mortal é o Universo encarnado. Posso seguir o fluxo do Universo.
- E o que é que o Universo te diz agora? –quis saber a moça.
- Ele me diz para te seguir através dessa porta e não olhar para trás.
- Então siga o fluxo do Universo – Fez um gesto e o trono se afastou magicamente. A entrada para o interior do templo estava aberta agora.

Antes que ele reagisse, passou na sua frente, se deteve na soleira do portal escuro e olhou para ele.
- A partir daqui posso guiar você - disse. E passou através do portal, sumindo na escuridão.

O Louco subiu as escadas sem hesitar. Antes de entrar, tirou seu chapéu e deixou cair sua capa. Olhou para sua sacola, jogada aos pés da escadaria. Não ia precisá-los mais.

Entrou sem vacilar na escuridão, rumo à Luz.

Imagem: A Sacerdotisa - Tarô das Estações 


PS: Vocês podem ver que a ordem tradicional do Tarô foi alterada e aqui o Arcano I é A Sacerdotisa e o Arcano II é O Mago. Isso porque estamos seguindo a linha de trabalho de Donald Tyson, um dos melhores magos que existe. Ele desenvolveu uma revolucionária forma de adaptar o Tarô aos rituais da Golden Dawn. A ordem das cartas, para Tyson, é levemente diferente, e é essa ordem que estamos seguindo aqui.

Para ver o post antigo da Sacerdotisa, clique aqui.

Para ir ao próximo Arcano: O Mago, clique aqui.





Canal Magia da Transformação