Quinta Transformação – O Humano Divino

Posted by Jorge Puente Marcadores:

A Quinta transformação visa transformar você em uma pessoa com um contato pessoal e direto com Deus (ou com a Deusa, ou com a Energia Cósmica, enfim, chame como preferir...) e, portanto, em um Criador, alguém que possa determinar seu caminho, criando seu mundo a cada passo.
A expressão “Humano Divino” não é uma invenção minha. Pertence a um dos guias mais especiais e maravilhosos que existem: Tobias. Caso vocês queiram mais informações sobre ele, aconselho procurar no Google (Tobias – Geoffrey Hoppe).
Segundo Tobias, todos nós nascemos com essa conexão, mas a perdemos logo em seguida. Aliás, nossa sociedade perdeu a conexão direta com a Divindade há muito tempo. Quando você vai numa igreja, num templo, está procurando encontrar de novo a Divindade.
Tenho uma boa notícia para você: ela está bem no centro do seu Ser.
Continue frequentando o templo da religião do seu agrado. É bonito e construtivo. Agora, se você quiser entrar em contato com a Divindade diretamente, sem intermediários, tem vários métodos. Os livros de Eckhart Tolle, ou a trilogia Conversando com Deus, o material de Tobias ou de Kryon fornecem estradas diretas para entrar em contato com Deus (Deusa, etc.). E tem mais material de ótima qualidade.
Aqui vamos usar os últimos arcanos do tarô para essa finalidade. A Quinta Transformação ajuda você a sair do mundo da ilusão e a entrar no mundo da realidade de Deus, neste caso através do contato com as características femininas e curativas da Deusa.
Esta transformação começa com o Arcano XV, O Diabo, no Mundo das Ilusões. Somente através do colapso desse mundo irreal (que para nós parece tão real!) podemos entrar em contato com as energias suaves e curativas da Deusa. E só passando através da noite escura, desenvolveremos a fé que nos permitirá abrir nossos braços e receber o Amor dela.
Mas estou me adiantando. Vamos começar com os Arcanos, um a um. Desta vez usarei histórias para ilustrá-los.
Vamos lá?
Imagem: "Magia Branca" (Enchanted Oracle). O ser humano trascende suas limitações e vira um com o Criador.

Posted by Jorge Puente Marcadores:


A Primeira Transformação
Abaixo vocês têm a Primeira Transformação, que está formada por 6 cartas: O Louco, O Mago, A Sacerdotisa, A Imperatriz, O Imperador e O Sumo Sacerdote. Ela ensina como despertar os poderes da Criação. Esta é uma transformação Padrão e serve como um guia geral para todo mundo.
Espero que esta Transformação possa ajudá-los a se conhecer melhor, ter mais sucesso no dia-a-dia e serem mais felizes.
Um abraço
Jorge

Imagem: a Rosa do Renascimento (Oráculo Encantado). Indica o renascimento ou recuperação depois de momentos difíceis. Uma carta muito positiva.


Arcano 0 - O Louco

Posted by Jorge Puente Marcadores:




Também conhecido como O Bobo, este arcano é muito especial. Por quê? Com ese nome, não parece que seja muito importante, não é mesmo...?

Bem, vamos a estudar um pouquinho este personagem. Parece um andarilho, veste com cores vivas (muitas cores, menos o verde. Anote isso...). Parece que vai sem rumo e é perseguido por um cachorro, que morde seus calcanhares. O que significa?
O Louco recebe o número zero no Tarot. É interessante pois esse número (e seu conceito) é uma coisa relativamente recente. Ao "ser" o zero, seu valor pode depender da carta que o precede, por exemplo (essa é uma das formas de interpretar sua aparição numa tiragem). Mas também o deixa livre para transitar entre todos os outros trunfos. E essa é a caraterística do Louco: ele é livre!
Perambula pelo mundo guiado só por sua intuição, representada aqui pelo cachorrinho. Em muitos baralhos aparace à beira de um precipício. Mas o Louco não cai. A intuição dele impede isso. Essa intuição o guia pelo mundo. E ele não sabe muito bem por quê está indo em certa direção, nem o que tem no final do seu caminho. Aliás, ele não conhece finais de caminho, sempre está partindo em novas viagens.
Se o Louco aparecer na sua tiragem de cartas, prepáre-se para novas e grandes aventuras. Ele vai guiar você a paragens com as quais nunca teria sonhado em ir. Toda nova fase vem precedida por ele. E é um guia irrecusável.
Vou contar uma história para você: quando cheguei ao Brasil, um cientista recém formado, cético a respeito de qualquer coisa esotérica, me chamaram para uma tiragem de tarot. Como sou curioso, fui. Já podem imaginar qual foi a carta que abriu (e fechou) a tiragem. Minha viagem por estas terras tinha começado e junto com ela outra viagem a um mundo maior e melhor. O Louco me ensinou muita coisa. E é graças a ele que consegui me transformar no Mago. Mas essa é história para outra postagem...:)

Imagens: à esquerda, o Louco no Tarô de Waite. Mais sutil e sonhador que o do Tarô de Marselha, aqui aparece à beira do precipício.
No centro, o Louco no Tarô de Marselha (o que foi descrito antes)
À direita, o Louco no Tarô Mitológico. Ele é representado pelo deus Dionísio e, no lugar do cachorrinho, é uma águia que serve de ponte com o mundo intuitivo.

Arcano II - O Mago

Posted by Jorge Puente Marcadores:





























O Mago
O Ilusionista

Chegamos ao primeiro e talvez mais rico arcano do Tarot. O Mago. Dizem que tudo começa por aqui. Realmente, o Tarot de Marselha não começa com O Louco. Nem o tarot Rider-Waite. Aliás, Waite colocou o Louco na posição XXI, antes do Mundo. Para ele, tudo começava com O Mago.
Afinal, por que é tão importante?
O Mago representa o primeiro movimento, e o controle do caminho. Afinal, você conhece algum mago que não tenha controle absoluto do ato mágico? Quando um mago falha na sua apresentação, é automaticamente desacreditado. Então a primeira caraterística do mago é ter um controle absoluto do que está fazendo, do público que está assistindo e dos tempos da sua arte. Mas afinal, ele é um Mago ou um simples prestidigitador? Ele é um mago "de verdade" ou está nos enganando?
Segundo o tarot de Waite, ele é um sacerdote e, portanto, não vai nos enganar. Ele aparece como um elo entre Deus e a Terra. Seu braço direito, com a varinha mágica símbolo de seu poder, aponta ao céu. Seu braço esquerdo aponta para a Terra. Ele é o elo que permite que o milagre se realize e, portanto, ele é verdadeiro. Só um verdadeiro Mago pode servir de canal entre Deus e os homens. Qualquer outro ficaria queimado imediatamente pelas poderosas energias cósmicas (de verdade, se revisamos a história dos magos, mais de um ficou "piradinho" depois de algum tempo. Manipular essas energias não é para qualquer um...).
Agora, segundo o tarot de Marselha, a história tem mais nuances. Pois, diferente do mago de Waite, o mago de Marselha parece ser bem mais humano. E ele tem um toque de esperteza. Olha para a cara dele, você confiaria 100% nesse mocinho? E entretanto, ele é fascinante. Igual que na carta de Waite, frente a ele estão os símbolos dos quatro elementos: o bastão, o pentâculo, a taça e a espada. Mas aqui existem também um monte de outros objetos, aparentemente sem uso. Aparentemente. Ele sabe muito bem como usá-los. E nós, coitados, nunca saberemos se o milagre é verdadeiro ou é um truque. Usa um chapéu que representa o símbolo do Infinito, a lemniscata (o mago de Waite tem apenas o símbolo pairando sobre ele). Isso nos indica que ele também é canal entre o Infinito e a Terra, mas agora o símbolo é material (seu chapéu). Será que ele é "de verdade" um mago? Nicholls diz no seu livro que, diferente do mago de Waite, o de Marselha apresenta rasgos sacerdotais e humanos ao mesmo tempo. Ele está realizando um ato supernatural... ou é simplesmente um truque? Ou tem um pouco de ambas coisas?
Aliás, ao tratar com um mago de verdade, você nunca conseguirá determinar os limites dos seus poderes. Ele faz coisas incríveis e, ao momento seguinte, é absurdamente humano. Minha mestra era capaz de desintegrar objetos e, imediatamente depois, pedir um café cheio de chantilly!
De qualquer forma, o Mago fascina. Se você buscar conselho com ele, na maioria das vezes vai se dar bem. É claro que, ás vezes, seguir o conselho do Mago leva por caminhos aparentemente assustadores. Mas ele sabe exatamente onde está enviando você! Ele conhece todos os caminhos (ou pelo menos uma boa parte deles. Os que ele não conhece, não usa...;)
O simbolismo dos caminhos está bem mostrado no primeiro arcano do Tarot Mitológico de Sharman-Burke. Aqui Hermes aparece parado frente a um altar, em uma encruzilhada. Ele pode escolher qualquer caminho, já que conhece todos. De todas as representações que vi do Mago, é a que tem mais mobilidade. Usei esta imagem e seu conceito durante 16 anos. Mesmo agora, trabalhando com o Tarot do Labirinto, continuo usando a simbologia do Tarot Mitológico. Por que? Porque como o Mago conhece os caminhos e passagens a seguir, ele pode te guiar. Ele sabe os caminhos que você pode transitar. Se você tiver jeitinho, vai conseguir que te conte o segredo dos caminhos. Se tiver jeitinho... E se souber entender, porque poucas vezes vi algo tão complicado como entender os conselhos dos Magos formados.
De verdade, para quem quiser mergulhar nas profundezas psicológicas do Mago, aconselho o livro de Sallie Nichols (pode começar na página 59. Pare onde achar melhor...:)
Agora bem, a segunda caraterística do Mago é que, diferente de outros arquétipos, ele precisa de um público! O que seria do mago sem seu público??? Cada ato de magia é preparado para alguém. Seja um milagre ou simplesmente o sumiço de uma moeda, precisamos de um público que acredite ou desacredite no mago. Você já reparou que tanto os crentes como os céticos assistem ao espetáculo. Os primeiros para constatar que ele é uma fraude (coisa que 99% das vezes não conseguem, e quando conseguem ficam frustrados... por qué será?) Os segundos para curtir mais uma vez a beleza do milagre. É assim com David Copperfield, ou não? Foi assim con Houdini. O fato do Mister X mostrar como os truques eram feitos não acabou, nem de longe, com os magos. E estamos falando de magos comuns, materiais (se é que Copperfield pode ser chamado de "comum"...:)
E os magos que dizem controlar meios sobrenaturais? Existiram um monte ao longo da história. Recentemente tivemos a MacGregor Mathers, Dion Fortune, Papus, Arthur Waite, Frater Achad, Kenneth Grant, Nema e, é claro, Aleister Crowley. Nenhum deles foi considerado um prestidigitador, um ilusionista. Eles eram como o Mago de Waite, os sacerdotes que dominavam os elementos. A propósito, vocês já ouviram o Paulo Coelho dizer que pode fazer chover...
Mas o Mago de Marselha se coloca no meio deles. E é esse o intuito desta carta. Ela mostra o Mago sacerdotal e profano ao mesmo tempo. Pode existir algo assim? Aleister Crowley era assim, mas para aqueles que não ouviram falar nele, busquei outro exemplo. Para que vocês apreciem esse ser estranho, que diz ser capaz de dominar os elementos, trago para vocês... Eisenheim! Nenhum filme moderno desenhou tão bem o arquetipo do Mago como O Ilusionista. A carta do Tarot de Marselha foi feita para Eisenheim. Durante todo o filme ele nos diz que "tudo é ilusão", e a todo momento estamos convencidos que ele domina poderes além da imaginação. Ou seja, quanto mais ele nega possuir poderes sobrenaturais, mais acreditamos que ele os possui!!! Mas o que importa, afinal, é que em cada uma das suas apresentações, da primeira até a última, ele consegue a perfeição, para prazer nosso... e dele! E que as pessoas que confiaram nele não ficaram defraudadas. O poder dele as guiou e protegeu.
Afinal, o Mago não representa o Poder Criador na Terra?

Ilustrações: de esquerda a direita
O Mago (Hermes) - Tarot Mitológico
O Mago - Tarot de Marselha
Einsenheim, O Ilusionista
O Mago - Tarot de Waite

Arcano II - A Sacerdotisa

Posted by Jorge Puente Marcadores:





A Guardiã de todos os conhecimentos


Chegamos agora à figura da Sacerdotisa, chamada no Tarot de Marselha de "A Papisa". Ela é uma das figuras mais enigmáticas do Tarot. A começar pelo nome, já que nós conhecemos o Papa (da Igreja Católica), mas nunca tivemos uma Papisa (pelo menos não oficialmente. Há várias histórias mas nenhuma confirmada pela própria Igreja). No Tarot de Marselha aparece como uma senhora, oculta por pesadas roupas. Ela tem nas mãos o livro da Sabedoria e está disposta a ensinar àqueles que a procuram. Apenas visíveis estão atrás dela as colunas do Templo (Jachim e Boas, simbolismo que veremos repetido na estrutura das Lojas Maçonicas). O simbolismo indica que para atravesar as colunas devemos passar por ela. As colunas são mais visíveis no Tarot do Labirinto e totalmente manifestas no Tarot Rider Waite. Nestes últimos, entretanto, a idade da sacerdotisa diminuiu bastante... neste ela é quase uma garota. No tarot mitológico ela é Perséfone, a virgem raptada por Hades para ser sua esposa. O que elas têm em comum são as roupas que cobrem tudo, deixando só as mãos à mostra. Essa é uma das caraterísticas da Papisa: ela não é uma personagem sexual, mesmo carregando uma forte sensualidade (visível principalmente no tarot de Royo e no Mitológico). É por isso que preferi usar estas imagens e não as de alguns tarots que mostram a Sacerdotisa sob um aspecto claramente sexual (Royo mesmo, no seu Tarot do Labirinto, tem uma representação alternativa onde as colunas do templo são as pernas da sacerdotisa, a qual está nua e com o seu Guardião parado atrás dela. O simbolismo de Perséfone e Hades está perfeito aqui, mas prefiro usar o antigo por enquanto...:)
Então, afinal, que simboliza a Suma Sacerdotisa? O conhecimento necessário para atingir nossas metas, a sabedoria revelada para nós. O princípio feminino que nos nutre, escondido no inconsciente. O poder do conhecimento (veja a tiara dela). Mas isso significa o que, exatamente...???
Bem, depois de ter conhecido o Mago, aprendemos sobre o Poder de Criação. Você já se apossou dele? Você sente o poder de criar dentro de você? Está sentindo aquela sensação de "Eu Posso!"? Ótimo! Agora vem a pergunta do milhão:
-O que você vai criar?
-Ah, claro, já sei! Tenho várias ideias aqui... (responde você, guiado pela Sacerdotisa).
Pois esse é o papel dela: fornecer os conhecimentos para que você possa encaminhar seu princípio criador. Ela te dará as informações necessárias para definir teu negócio, tua carreira, o que você quiser criar. Até aqui, tudo bem. Temos algum porém...?
Temos, esse é o problema. Ela tem as informações... TODAS as informações. Ela não vai decidir por você. O número dois é o número da dualidade, ele coloca em movimento o número um, mas não define sua direção. Para isso precisamos do número Três (depois explico isso).
"O que eu faço? Caso ou compro uma bicicleta?" ou talvez você abra uma pizzaria, ou uma escola de idiomas... por que não ser funcionário público? Todas as alternativas são válidas. Ela vai mostrar um monte de opções para você, mas só você pode decidir entre elas. Esse é o limite da nossa Sacerdotisa: ela é como a mãe que apóia a decisão do seu filho... ela vai apoiar, mas quem deve tomar a decisão é o filho!
De qualquer jeito, é bom ter uma pessoa que nos guie e nos ajude no processo de escolha. E que nos estimule a crescer. Tudo isto ela faz, ou no inconsciente ou no plano material através de alguém. Para mim foi sempre muito importante contar com a sabedoria da minha mestra. Ela sempre me aconselhou, mas a decisão final sempre foi minha. Algumas decisões não foram tão boas, mas ela sempre respeitou. Posso ficar feliz de ter conhecido uma das faces da Suma Sacerdotisa aqui, no mundo material...:)
Se a Suma Sacerdotisa apareceu para você num jogo de Tarot, fique feliz: o conhecimento para dar forma ás suas ideias está chegando. Você vai se transformar em alguém mais sábio. Mas nossa viagem só começou: para definir entre as opções da Sacerdotisa, você vai ter que conhecer a irmã dela (ou a mãe, dependendo do Tarot), a Imperatriz. Mas isso é tema da próxima postagem...

Imagens: de esquerda a direita
A Papisa (Tarot de Marselha)
A Sacerdotisa (Tarot do Labirinto - Luis Royo)
A Suma Sacerdotisa (Tarot Rider-Waite)

Arcano III - A Imperatriz

Posted by Jorge Puente Marcadores:






A Grande Mãe
A Criadora da Primeira Civilização
E chegamos ao Arcano III, a Imperatriz. A rainha do Céu e da Terra, segundo Sallie Nichols em seu livro “Jung e o Tarô”. Uma mulher de idade indefinida, no Tart de Marselha, loira, sentada num trono, portando um cetro com o orbe e um escudo. Segundo alguns estudiosos, o orbe indica seu poder sobre a terra e a águia no escudo indica sua conexão com os céus. Neste tarot aparenta ser a irmã da Sacerdotisa. Já no Tarot Mitológico (Sharman-Burke) ela aparece como a mãe da Sacerdotisa. Diferente da sua filha, que é conhecimento puro, a Imperatriz é movimento puro. Vemos a Imperatriz quando olhamos para a mata que cresce junto ás nossas estradas. Quando atravessamos os bosques, quando descemos para a praia ou quando chegamos nela. Ela está na Natureza. Ela é a Natureza! O impulso primário, a Grande Mãe.
Muito bem, e isso significa o que no nosso dia a dia? Podemos dar muitos significados. Já disse antes que cada Arcano possui tanta profundidade que as explicações dadas aqui só são a ponta do iceberg, já que conhecer os significados dos Trunfos do Tarot leva uma vida (ou talvez mais de uma...). Mas temos que começar por alguma parte, e essa parte é o Movimento!
Movimento! Ação! Criação! Ela é tudo isso e muito mais. Você lembra suas idéias para construir coisas na sua vida? Lembra dos seus projetos? Eles ficam bonitos no papel, mas é hora de começar a construir de verdade. Você precisa da energia da Imperatriz!
Todos nós conhecemos pessoas que vivem tendo montes de idéias maravilhosas. Fazem muitos planos para ficarem ricas, famosas, etc., mas nunca saem do lugar onde estão. Algumas vezes nem saem da cama! Elas são tocadas pela energia mística da Sacerdotisa, mas por algum motivo não conseguem manifestar a energia da sua mãe, a Imperatriz. E assim esses maravilhosos planos (que tanto nos admiram muitas vezes) nunca são concretizados. Se vamos fazer algo diferente, precisamos da ajuda dela: ela vai fazer com que nos levantemos da cama e comecemos a construir nossos sonhos. E quando apareçam as dificuldades (sempre existem, não há sonhos sem obstáculos, veja as novelas...:) ela vai estar ao nosso lado para passar a mão na cabeça e nos dizer para não desistir. Ela é uma mãe que toma conta de todos seus filhos, em todos os momentos.
Você pode ver que me concentrei nos aspetos dinâmicos e construtivos da Imperatriz, mas ela possui muitos outros. Pode indicar uma gravidez, por exemplo. Às vezes pode indicar uma presença maternal poderosa e repressora, pois seu amor de mãe costuma ser muito possessivo. Nem tudo são rosas com ela. E não tente quebrar a harmonia do seu jardim, ela não vai tolerar! Em muitos aspetos a Imperatriz nos leva de volta ao Jardim do Éden, onde tudo estava certo e nos lugares corretos e a vida transcorria de forma alegre e tranquila. Talvez por isso ela se manifeste com tanta força em momentos assim: você não se sentiu alguma vez super criativo durante as férias? No início de um namoro? Com o nascimento de um filho? Quantas vezes você ouviu ou leu de pessoas ricas que iniciaram sua fortuna em momentos assim? Muitos deles dizem que o nascimento do filho os inspirou. Em outros casos foi uma aposentadoria bem recebida, a tranquilidade e a satisfação que fizeram que essa pessoa, em vez de se sentir inútil, começasse a criar aquilo com que sempre tinha sonhado.
Então, vamos começar a nossa transformação? Sinta-se bem! Afaste suas preocupações por cinco minutos de manhã e por cinco minutos à tarde. O que você faria se tivesse todo o dinheiro e o tempo do mundo? Brinque com essa idéia por cinco minutos. Sinta-se bem por cinco minutos. Porque é ai que ela vai aparecer! E você vai ter, por exemplo, um insight sobre como por em prática algum dos seus sonhos, ou uma intuição (que vem a ser a mesma coisa...:) para resolver algum problema. Comece por pequenas coisas, ninguém quer que você atravesse a Muralha da China na primeira semana! Mas com tempo suficiente... quem sabe o que você pode conseguir?
Da minha parte, eu aposto em você...:)
Imagens: de esquerda a direita
A Imperatriz (Tarot de Marselha)
A Imperatriz (Tarot Rider-Waite)
A Imperatriz (a deusa Ceres) (Tarot Mitológico)

Arcano IV - O Imperador

Posted by Jorge Puente Marcadores:




O Pai da Civilização Atual
E chegamos por fim à figura do Imperador, o consorte da Imperatriz.
Você vai precisar dele para por ordem na sua vida!
Usei a definição de Sallie Nichols para o subtítulo por achar que é clara ao mostrar o significado desta carta: ordem e progresso.
Uma vez que a Imperatriz nos ajudou a construir nossa primeira agrupação de casas, chegou o Imperador para traçar as ruas, definir as praças e construir os caminhos para nos ligar ao mundo. Ele é todo mente e estrutura.

Por isso aparece sentado num trono, formando um 4 com as pernas. O 4 é o número do quadrado, quatro lados iguais sobre os que podemos nos apoiar! Quase sempre aparece com as pernas formando o número 4, mas há versões como o Tarot de Waite ou o Tarot das Bruxas onde isto não é assim. Mas em todos os casos ele é impressionante, com sua calma, seu olhar decidido e forte. No Tarot de Waite ele está olhando para o céu, como mantendo uma conversa com alguém “lá encima”. Mas em todos os casos vemos uma coisa em comum: a paisagem detrás dele já não é o jardim luxuriante da Imperatriz e sim uma paisagem árida e montanhosa. Isso porque o reino do Imperador é diferente daquele da sua esposa: a ele pertencem os áridos reinos da mente racional. Não se da muito bem com os sentimentos e as intuições. Ele é o grande chefe que vai nos indicar o que fazer para que as coisas saiam bem, sempre desde um ponto de vista racional. Parece duro, mas é necessário.
Como aplicamos isto às nossas vidas? Como sempre, tenho que escolher entre as muitas abordagens deste Arcano, e vou escolher a criação para explicar seu funcionamento.
Todos nós conhecemos pessoas que vivem criando coisas, empresas, trabalhos, famílias (também...), fazendo faculdades, mas que nunca levam o projeto que tem entre mãos até o fim. Nelas a energia da Imperatriz se manifesta fortemente, mas carecem da energia do Imperador. Começam muitas coisas e quando chega o momento de solidificar (o número 4), elas vão embora, em busca de novos horizontes.
Por que isso? Bem, no processo de criação que vimos até agora nós sofremos o impulso criador (O Mago), buscamos o conhecimento necessário (A Sacerdotisa) e aplicamos a energia criativa (A Imperatriz). Se a mistura alquímica foi bem feita, nosso empreendimento já deve estar funcionando. E ai começa o problema: parece que a magia acabou! A empresa está funcionando e começaram os problemas com os empregados, ou conseguí o emprego que queria e agora descubro que não estou satisfeito com o salário (acho que deveria estar ganhando mais, é claro!). Casei e a magia acabou! Todos já escutamos essas frases (ou pronunciamos, ou sentimos, mesmo sem dizer nada a ninguém). Em todos os projetos chega o momento da consolidação, o momento de solidificar o que foi construído e sentar as bases para sua permanência. E essa fase é muitas vezes chata e árida, como a paisagem atrás do Imperador, mas é necessária. Ele é criativo também, é sensível, mas é regido pelos imperativos da mente. Ele é quem vai te dizer que essa idéia maravilhosa para um novo produto vai ter que esperar até março do ano que vem (no final das contas, em Dezembro é Natal e em Janeiro ninguém trabalha... Brasil volta depois do Carnaval...). E seus sonhos e expectativas vão ter que esperar... isso é muito chato! Mas é necessário.
Como exemplo, no meu caso foi difícil me adaptar à figura do Imperador. Como bom criativo, perdia o encanto com um projeto assim que ele começava a dar frutos. O Imperador apareceu para mim na figura da minha amada: ela me guiou através da minha impaciência para continuar levando adiante os projetos de sucesso (e cortar as linhas que não funcionavam). Aprendi então a arte da Transmutação. Uma vez que dominei as artes do Imperador, pude começar a transmutar meus projetos. Assim fui desenvolvendo um produto de sucesso em outro, levando minha criação até pontos que eu mesmo nem imaginava e vendo como ela se transformava sozinha em outro produto ou empresa. Difícil foi, mas valeu à pena.
Se o Imperador aparece para você num jogo de tarot, prepare-se para por em funcionamento as habilidades de ordenar e catalogar seu mundo. Pode não parecer tão brilhante e bonito, mas é necessário. Porque só conhecendo os tempos e as estações é que podemos colher os frutos no momento certo, garantindo assim uma excelente colheita!

Imagens: de esquerda a direita
O Imperador (Tarot de Marselha)
O Imperador (Tarot Rider-Waite)
O Imperador (Tarot das Bruxas) (esquerda - abaixo)

Arcano V - O Sumo Sacerdote

Posted by Jorge Puente Marcadores:





O Papa
O Elo entre o Céu e a Terra

Chegamos por fim ao quinto Trunfo do Tarot, O Sumo Sacerdote. Um homem sentado num trono entre duas colunas. Duas figuras ajoelham-se na frente dele e ele as abençoa. Quem é este personagem?
Existem muitas interpretações, desde que ele é o elo entre o Divino e o Humano até que ele representa as religiões como estruturas de poder. Eu particularmente prefiro à primeira.
Assim, enquanto o Imperador nos ensina a lei dos homens, o Sumo Sacerdote nos ensina as leis de Deus. Essa seria a interpretação mais simples. Essas leis não são coletivas, são individuais, pois o caminho da espiritualidade é diferente para cada homem. Ele pode aparecer como um sacerdote de alguma religião definida ou como um mestre espiritual que vai nos guiar, no fundo é tudo o mesmo, existe uma figura que vai nos instruir nos caminhos espirituais. Veja como ele está instruindo as duas figuras que se ajoelham à sua frente. Eles confiam plenamente no Papa. Vão seguir suas orientações sem discutir, pois ele é a Voz de Deus.
Existe outra interpretação para a figura do Papa, seguindo nossa linha de transformação. Uma vez que começamos com o Louco e chegamos ao Imperador, qualquer um que seja nosso projeto de vida, ele está funcionando. O Sumo Sacerdote vai nos dar agora o conhecimento extra que nos permitirá que esse projeto não seja só uma criação material, mas que tenha componentes espirituais. Alguém poderia dizer: mas a criação material não tem nada a ver com a espiritualidade! Talvez. No nosso mundo as maiores criações materiais parecem estar (e estão na maior parte das vezes) bem longe da parte espiritual. Não existe espiritualidade nos diretórios das grandes empresas, nem na maior parte dos governos, não é? Isto é verdade. Será que podemos criar no mundo material e manter um laço com a espiritualidade? A resposta é sim, e vai ser o Sumo Sacerdote quem vai nos instruir nos limites da nossa criação. Ele vai nos mostrar em que momento a nossa criação vai crescer ao ponto de tomar o controle das nossas vidas. Podemos ouvi-lo ou não, é a nossa escolha. Sempre podemos escolher viver em uma gaiola de ouro, tenho amigos que decidiram isso livremente. Somos livres para escolher. Todos nós conhecemos casos de altos executivos que saíram das empresas e montaram negócios menores, tendo vidas mais tranquilas (alguns deles na praia...). Trocaram o dinheiro e o poder pela liberdade de serem donos da sua própria vida e curtir suas famílias. É válido? Para eles sim. E para você? Não posso te dizer isso, só você sabe o que é melhor para sua vida. Consulte ao Sumo Sacerdote se estiver com dúvidas. Ele é o ponto exato entre a espiritualidade e a materialidade, ele poderá dizer como aplicar melhor tuas forças e como obter um resultado feliz. Basta perguntar.

Imagens: de esquerda a direita
O Papa (Tarot de Marselha)
O Sumo Sacerdote (Tarot Rider-Waite)

Para ir ao próximo Arcano, O Enamorado, clique aqui.

Primeira Transformação

Posted by Jorge Puente Marcadores:


Primeira Transformação
(Criação)
Já estamos prontos para realizar a primeira Transformação! Começamos com o arquétipo do Louco, sentindo a necessidade de mudança, mesmo sem saber muito bem para onde nos levaria

esse sentimento, e chegamos até o Sumo Sacerdote, a força que vai equilibrar o final da nossa primeira etapa. Este é um dos métodos que ensino aos meus alunos... Vamos ver como funciona?
Bem, começa quando sentimos essa sensação de “quero fazer algo diferente”

ou “deve existir algo diferente nesta vida”. Muitos de nós sentimos isso ao longo das nossas vidas. Para aqueles que não negaram essa sensação e decidiram ver o que o mundo podia lhes oferecer, apareceu o Mago. Vamos precisar do Mago, o arquétipo da criação. Ele se manifesta como a determinação, a segurança de que queremos a mudança nas nossas vidas. Estou pronto e estou disposto a assumir as responsabilidades da mudança. Então diga isto em voz alta. Preste atenção, isto não acontece numa semana. Pode levar tempo, mas uma vez que o processo está em andamento, avança firme e seguro.


Agora chegou a vez de chamar a Sacerdotisa. Ela representa o conhecimento, então, nesta etapa buscamos a atividade que melhor se adapta aos nossos anseios. Cuidado aqui! A Sacerdotisa se manifesta através da sua intuição! Uma vez que você pesquisou todas as opções, deixe a sua voz interior lhe indicar as melhores ou a melhor entre elas.





Já decidimos? Então é hora de começar a estruturar o negócio ou atividade. Chame a Imperatriz e deixe que ela o motive. Ela se manifesta geralmente como um grande entusiasmo, uma enorme paixão pela nossa atividade que está nascendo. Deixe a Imperatriz guiar você na busca dos elementos necessários para fazer realidade seu projeto. Mas agora vamos ter algo diferente, pois, junto com a Imperatriz, vamos chamar seu esposo, o Imperador. Pois nossa paixão

deve ser temperada pela razão neste ponto. Uma vez vi uma reportagem onde era feita uma distinção entre um empreendedor e uma pessoa com boa vontade e dinheiro. Estas últimas pessoas terminam, quase sempre, na falência. Mas o empreendedor não. Onde está a diferença? O empreendedor (tal como o conhecemos na nossa sociedade) mistura os princípios de entusiasmo da Imperatriz com a lógica do Imperador. Por mais que goste de um possível negócio ou atividade, vai avaliar os prós e os contras, principalmente os contras, antes de investir seu dinheiro e seu tempo nele. É inútil abrir um bar na praia no inverno no litoral catarinense. Talvez funcionasse na Bahia. Por que não esperamos até a primavera para abrir as portas? Podemos preparar tudo durante o inverno, assim quando a alta temporada chegar, estaremos prontos! A Imperatriz me diz que abra as portas, o Imperador me dirá quando abrir as portas...


Já está funcionando? Está feliz? Até onde você quer ir com sua criação? O Sumo Sacerdote vai te aconselhar, se você quiser ouvi-lo. Ele é o toque final, que deixa tudo mais equilibrado e bonito.


Bem, este foi um exemplo de como o Tarot pode ser usado para uma finalidade específica, neste caso, para construir algo na tua vida. Contei simplesmente um método que eu e meus alunos aplicamos, em diferentes graus e com diferentes alcances. Existem muitas, mas muitas outras coisas que o Tarot pode fazer por você.
Nas próximas postagens vou lhes contar como o nosso herói vai avançar na sua viagem. Ele vai ter que fazer escolhas, vai sofrer perdas e vai descobrir que possui novos poderes. Ou como diz um famoso Mestre da Tradição, ele vai descobrir como é viver a sua Lenda Pessoal. Espero por vocês!



Canal Magia da Transformação